“Filhos Adolescentes, Afetos e Sexualidade” foi o tema da segunda conferência do Ciclo de Conferências em Família

“Filhos Adolescentes, Afetos e Sexualidade” foi o tema da segunda conferência do Ciclo de Conferências em Família

No passado dia 17 de Novembro o Secretariado da Pastoral Familiar de Santarém (SDPF) dinamizou, em colaboração com a vigararia de Tomar, a segunda conferência deste Ciclo de Conferências em Família, que acontecerá ao longo do ano pastoral, desta vez com o tema “Filhos Adolescentes, Afetos e Sexualidade”.

A equipa do SDPF foi calorosamente acolhida pelo Padre Rui Tereso e pelos colaboradores paroquiais e, apesar do frio que se sentia, para assistir à exposição do Enfermeiro Pedro Pereira, na Biblioteca Municipal de Tomar reuniu-se uma audiência de cerca de 30 pessoas, às quais se juntaram mais 3 de dezenas à transmissão online em direto.

A transmissão alcançou pessoas de várias dioceses do país e após a conferência o número de visualizações continua a aumentar. Foi uma exposição muito rica, ficando o convite a assistirem e divulgarem junto de quem possa ter interesse, uma vez que o vídeo permanece disponível na página de Facebook @pastoralfamilar.pt .

Esta conferência constituiu mais uma oportunidade para, em conjunto, fazermos caminho de crescimento no amor e na promoção da Família, neste caso em particular, sobre como comunicarmos juntos, mais velhos e mais novos, acerca do que nos é comum e da diversidade de visões e vivências de que afortunadamente dispomos. Mais do que uma sessão de (in)formação, a proposta traduziu-se numa reflexão acerca do carácter integral da sexualidade numa perspetiva cristã, que atravessa todas as idades, desde o nascimento até à morte.

A conferência partiu da perspetiva histórica e antropológica sobre a conceção do corpo, da centralidade do corpo nas relações humanas e da sacralidade do corpo, alertando para o facto de como esta conceção “influencia a maneira como vivemos a sexualidade e como falamos dela ao jovens”. Para uma vivência plena, íntegra e saudável da sexualidade, importa reconhecer que a sexualidade ocupa um papel central na vida do ser humano. “A sexualidade não é a relação sexual”, não se resume a um acontecimento episódico durante um determinado período da vida. A sexualidade “é uma energia interior que nos permite relacionarmo-nos uns com os outros” e, por isso, a experiência de uma sexualidade saudável é um fator determinante na qualidade das relações humanas e na qualidade de vida.

Foram identificados perigos e ameaças à sexualidade saudável dos adolescentes, que “são pouco falados” e ressalvada a importância e a responsabilidade fundamental que os adultos têm no acompanhamento dos jovens para um desenvolvimento pleno, o que inclui necessariamente a sexualidade. Porém, muitas vezes “temos pruridos em dizer aos nossos filhos, netos, catequizandos, que nem tudo o que está à nossa disposição é bom”, tornando-nos meros espectadores das escolhas dos jovens, em nome de um suposto respeito pela sua liberdade de escolha.

Como desafio, ficou a importância do valor dos afetos, de uma experiência familiar amorosa, de uma educação crítica, da educação das emoções e de, em Igreja ter oportunidade de falar sobre a ética e as relações amorosas, “todos juntos, em Sinodalidade”.

A próxima conferência será sobre o Os desafios do diálogo em Família e terá lugar no Auditório Municipal de Almeirim, no próximo dia 26 de Janeiro, às 21h15m.

Related Posts
Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *